RSS

Multidão toma as ruas contra o impeachment, o ajuste fiscal e pela saída de Eduardo Cunha

17 dez

Contra-o-Impeachmente-Nelsinho-14

Contra o impeachment, contra o ajuste fiscal e pelo fora Eduardo Cunha, milhares de trabalhadoras e trabalhadores foram às ruas de todo o Brasil nesta quarta-feira. Em São Paulo, onde se realizou a maior manifestação, diversos movimentos sociais, com destaque para o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), entidades sindicais e estudantis ocuparam a avenida Paulista até a Praça da República, onde finalizou o ato. A Intersindical Central da Classe Trabalhadora se somou  a atividade,  como vem se empenhando pela unidade em torno da pauta e dos interesses populares.

Na descida da Rua da Consolação, uma das grandes avenidas da capital paulista, do início da manifestação não se enxergava seu fim, tamanha era a imensidão de trabalhadores participando da atividade. As mulheres, inclusive, tiveram um destaque particular neste ato, por estarem em elevada quantidade de companheiras.

Coordenador Nacional do MTST, Guilherme Boulos esclareceu que “a maioria do povo brasileiro, vai estar nas ruas e não vai aceitar o impeachment porque ele é ilegítimo, fruto de chantagem de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que não tem condições de ser deputado”. Ele também recordou que foi o Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) quem inventou as pedaladas fiscais no governo dele. Para Boulos, “o impeachment significa a tentativa de construir uma saída à direita para a crise”.

Edson Carneiro Índio, Secretário Geral da Intersindical, disse que os trabalhadores estão nas ruas “para rechaçar o processo de impeachment, que não veio pra punir pedalas, para combater a corrupção ou para melhorar a vida do povo brasileiro”. Segundo ele, um “fora Dilma” vai permitir que o Michel Temer possa aplicar o programa que o PMDB negociou com o grande capital. Eles querem acabar com garantias sociais da Constituição Federal, impor aposentadoria só depois dos 65 anos, aprovar a terceirização geral e irrestrita, além de privatizar a Petrobras”.

Em sua análise, a substituição de Dilma não seria favorável aos trabalhadores. “Precisamos ocupar as ruas para derrotar o ajuste fiscal, reduzir a taxa de juros, que só beneficia os banqueiros, acabar com a política de cortes no programa Minha Casa Minha Vida, cortes na educação”.

Índio esclareceu que “ser contra o impeachment não se traduz em apoio ao governo. Queremos mudança da política econômica que beneficie os trabalhadores, a juventude pobre e negra, as mulheres”.

No mesmo sentido, Gilmar Mauro, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), afirmou que são as reformas estruturais e o não retrocesso de direitos que a classe trabalhadora quer discutir. “A batalha das ideias tem de continuar no próximo período. É preciso dizer que quem paga as contas nesse país é a classe trabalhadora e que toda a produção passa pelas mãos dos trabalhadores. Não viemos para as ruas a toa. É a nossa pauta que queremos discutir no próximo período”, apontou.

Afastamento de Cunha

Ao fim da manifestação, que literalmente cobriu de povo a Praça da República, os presentes receberam a informação de que a pressão pelo país tinha surtido efeito favorável: o Procurador-geral da República solicitou junto ao Supremo Tribunal Federal o afastamento de Eduardo Cunha do cargo de deputado federal e, consequentemente, da presidência da Casa.

Na última terça-feira, 15, a Polícia Federal já tinha cumprido um mandado de busca e apreensão na em sua casa a pedido do Supremo Tribunal Federal (STF).

Construção unitária e de esquerda

Em São Paulo a manifestação foi composta por muitas pessoas a favor da pauta e não ligadas a movimentos organizados e, também, foi construído por uma comissão operativa composta por MTST, CUT, INTERSINDICAL, CTB, UNE, MST, CONEN.

Além de participação de outras entidades como MAS, Brigadas Populares, MLB, Círculo Palmarino e contou com representantes de diversos partidos, entre eles o PSOL.

Confira abaixo as imagens do ato:
(clique na imagem para vê-la maior e navegar entre as fotos)
Foto capa da matéria: Nelson Ezídio / Fotos: Alexandre Maciel e Nelson Ezídio

Anúncios
 

Tags: ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: