RSS

Cadinho no subúrbio?

05 out

Postado no NPC

Por Gas-PA – Coletivo de Hip Hop LUTARMADA

A Rede Globo de Televisão nasceu quase junto com a ditadura civil-militar não por acaso. Ela veio com o propósito de difundir a propaganda ideológica do regime. Aquela ditadura, como a conhecemos, se foi, mas a sociedade continua burguesa e, como com toda hegemonia, ela precisa dominar também pelas idéias. E esse papel a Globo cumpre como ninguém.

Vários, mas muitos, são os exemplos em que a sua dramaturgia se coloca a esse serviço. A cidade do Rio de Janeiro, que sempre foi considerada a vitrine do país, mais do que nunca vem fazendo jus a esse “título”, visto que ela sediará o maior evento esportivo do planeta, as olimpíadas, além de jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo. E é justamente por conta desses acontecimentos que a cidade está se remodelando. Está em curso a chamada faxina étnica, que expulsa do centro e outras áreas valorizadas, pret@s, retirantes e @s mais pobres no geral.
Além da forma clássica que conhecemos de remoções – na base da força – hoje está em voga a chamada “expulsão branca”. Esta consiste na “pacificação” de comunidades do Centro, Zona Sul e nas proximidades dos equipamentos esportivos onde acontecerão jogos dos mega eventos. Essa tal pacificação traz a reboque uma espécie de reurbanização dessas comunidades – mas que visam atender muito mais os turistas e moradores do asfalto – e ainda, a regularização de alguns serviços que antes, na maioria das vezes, eram acessados de forma clandestina. Isso tudo torna muito cara a vida nessas favelas – transformadas em pontos turísticos – o que leva muitas famílias a se deslocarem para bairros distantes de seus locais de trabalho – até em outras cidades – com pouca, ou nenhuma, infra-estrutura.
E no momento em que as famílias dessas comunidades, com apoio de militantes de partidos e movimentos populares, se organizam para resistir, acontece uma intrigante reviravolta na novela de maior audiência da Rede Globo, Avenida Brasil. O personagem Cadinho (Alexandre Borges), empresário muito bem sucedido, se desdobrando pra ser um bom pai de três famílias, se descuida dos negócios e acaba falindo. Morador da rica e sofisticada Zona Sul carioca, ele se vê escorraçado pelas fúteis e consumistas esposas. Buscando a paz necessária para recomeçar a vida, ele busca abrigo, com amigos, no Divino, fictício bairro da periferia do Rio. Ao mesmo tempo, Monalisa (Eloisa Périssé), pra satisfazer os caprichos do filho que fantasiava viver na Zona Sul, compra um mega apartamento no Leblon. Desanimada com a frieza, a soberba das pessoas e o alto preço da vida na Zona Sul, ela já pensa em voltar pro seu antigo bairro, que na novela, fica próximo à Madureira. Apesar de ambos serem empresári@s bem sucedid@s, ela é a típica suburbana que emergiu nos negócios, enquanto ele, o modelo do burguês de Zona Sul. Mas tanto ele quanto ela dedicaram boa parte de suas ultimas aparições pra falar das enormes vantagens da vida na periferia. São explícitas e constantes declarações de amor!
Pronto. O recado (subliminar) está dado. Apesar da abundância dos meios de transporte, do comércio (muitas lojas já ficam abertas 24h), de hospitais, escolas, das maiores oportunidades de emprego e lazer gratuito (é praia que não acaba mais), a vida no subúrbio é tão fascinante que é capaz de seduzir até membros da alta sociedade. Então, por que motivo moradoras e moradores do Santa Marta, Pavão-Pavãozinho, Chapéu Mangueira, Canta Galo, Tabajaras, Quilombo do Sacopã… não aceitariam recomeçar suas vidas longe da fria, cara e tumultuada Zona Sul do Rio?
Se a principal fonte de informação da maior parte do nosso povo é a televisão, temos que estar vigilantes e combativos ao conteúdo da informação que o nosso povo recebe e consome, principalmente as subliminares que são transmitidas através de “inocentes” obras de arte, como tele-novelas.

E pra ilustrar com arte o nosso debate contra a arte deles, aqui vai uma sugestão. Abalando as Estruturas Globais (O Levante): http://www.youtube.com/watch?v=Y-S5yBj4r-8

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 05/10/2012 em Artigo

 

Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: